JPMotos
Morre Gerson King Combo, ícone da música black brasileira
23 de setembro de 2020 às 10:20
6
Visualizações

A música brasileira perde a voz de um verdadeiro rei. Morreu na noite da última quarta-feira (22), o cantor Gerson King Combo. O artista tinha 76 anos e deixa importante legado à cultura negra do País. O anúncio foi dado pela família nas redes sociais do carioca. Complicações por conta da diabetes vitimaram o músico.

“Comunicamos, com muito pesar, que o nosso amado Gerson King Combo, o Rei do Soul Brasileiro, faleceu na noite desta quarta-feira (22/09), em decorrência de infecção generalizada e de complicações da diabetes após súbita internação. Que Deus o tenha e console o coração da família, amigos e fãs”, aponta o comunicado.

Em 2009, Gerson King Combo recebeu o prêmio da Ordem do Mérito Cultural, honraria concedida pelo Ministério da Cultura. Foi o primeiro artista de black music brasileira a receber tal premiação. O carioca é uma referência para o funk, soul e rap.

Gérson Rodrigues Côrtes nasceu em 30 de novembro de 1943. É de Madureira, subúrbio do Rio de Janeiro. Começou a carreira fazendo dublagem no programa “Hoje é Dia de Rock”, de Jair de Taumaturgo (1920-1970). Levado pelo irmão (Getúlio Cortes, compositor de “Negro Gato”) começou a dançar no programa Jovem Guarda, de Roberto Carlos.

Gerson cantou nas bandas de Wilson Simonal (1938-2000) e Érlon Chaves (1933-1974) e ajudou a fundar a Banda Black Rio. Assumiu o batismo de Gerson King Combo na carreira solo. O nome homenageia a banda de soul jazz King Curtis Combo.

Lançou em 1969 o disco “Brazilian Soul”. O sucesso comercial foi esmagador com “Gerson King Combo” (1977) e “Gerson King Combo – Volume II” (1978). São trabalhos atuais até hoje. Nos anos 2000, Gerson King Combo voltou a ser reconhecido como um dos principais nomes da música negra.

Com o crescente interesse das novas gerações, Gerson king Combo voltou a se apresentar ao vivo, participando de CDs de grandes nomes da música black brasileira, como Sandra de Sá, Fernanda Abreu e Paula Lima, além de lançar mais um CD solo “Mensageiro da Paz”.

Diário do Nordeste

ComentáriosComentários