JPMotos
Homem desmaia ao ser açoitado por fazer sexo antes do casamento na Indonésia
5 de dezembro de 2019 às 15:05
52
Visualizações

Um homem desmaiou nesta quinta-feira (5) ao ser açoitado por ter feito sexo antes do casamento na região de Aceh, na Indonésia. Ele foi reanimado para para receber o resto de sua punição antes de ser levado às pressas para o hospital, informa a agência AFP.

O castigo físico é a pena para uma série de infrações à lei islâmica local nessa região conservadora da ilha de Sumatra. Praticar jogos de azar, consumir álcool e manter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo ou antes do casamento estão entre as infrações puníveis desta maneira.

Aceh é a única região da Indonésia, o maior país de maioria muçulmana do mundo, que impõe leis religiosas.

Na quinta-feira, o homem de 22 anos — condenado a 100 golpes — pediu que o executor da pena da Sharia, a lei islâmica em vigor ali, parasse de bater nas sua costas com uma vara de bambu bengala antes de desmaiar, segundo testemunhou um repórter da AFP.

Ele foi reanimado e recebeu uma breve atenção médica para, em seguida, seguir sendo açoitado. Mais tarde, ele foi levado para um hospital próximo para tratamento.

O homem foi considerado culpado de fazer sexo com uma mulher que também foi condenada a 100 chicotadas perto de uma mesquita no distrito de Aceh Timur, junto com outro homem com quem ela teve relações.

A mídia local informou que uma mulher que foi chicoteada em um caso separado em Aceh Tamiang na quinta-feira também desmaiou.

“O fato de duas pessoas terem ficado inconscientes hoje, em dois incidentes separados, é algo condenável para as autoridades que deixaram isso acontecer sob sua vigilância”, disse Usman Hamid, diretor da Anistia Internacional da Indonésia.

Ele acrescentou que os castigos “cruéis, desumanos e degradantes” representam tortura e instou as autoridades de Aceh e da Indonésia a acabarem com eles.

Cerca de 500 espectadores assistiram ao castigo em Aceh Timur. Alguns deles gritavam “mais forte, mais forte” durante o açoitamento.

“Esta é a consequência que eles têm que enfrentar por violar a lei”, disse Muhammad Yunus, uma das pessoas que assistiam à punição.

Em julho, três pessoas foram açoitadas 100 vezes cada uma por fazer sexo antes do casamento, enquanto dois homens pegos fazendo sexo com meninas menores de idade também foram açoitados 100 vezes no ano passado. Outras ofensas tendem a carregar dezenas ou menos chicotadas.

Em outubro, as autoridades de Aceh anunciaram que os caçadores que ameaçam orangotangos, tigres e outros animais selvagens ameaçados podem receber até 100 chicotadas.

Grupos de defesa dos direitos humanos criticaram o consumo público como cruel, e o presidente da Indonésia, Joko Widodo, pediu que ele terminasse, mas a prática tem amplo apoio entre a população majoritariamente muçulmana de Aceh.

Fonte: AFP

ComentáriosComentários