JPMotos
Médias de casos e óbitos por Covid-19 na última semana em Fortaleza são até 95% menores
11 de julho de 2020 às 06:34
25
Visualizações

As médias móveis de casos e óbitos por Covid-19 na última semana em Fortaleza registraram redução de 95% e 94%, respectivamente, em comparação às semanas de pico da doença, que aconteceram entre os meses de abril e maio, de acordo com boletim epidemiológico semanal da Secretaria Municipal de Saúde, divulgado na noite desta sexta-feira (10).

De acordo com o informe semanal, a média móvel semanal de casos estimada hoje em 35 casos é cerca de 95% menor do que no período do pico da pandemia na capital cearense, quando foram registrados 820 casos na média semanal.

Em relação às mortes, a redução na média móvel semanal atingiu 94% na última semana, comparando-se às semanas onde ocorreu o platô dos óbitos em Fortaleza. Enquanto no período de pico a média móvel semanal chegou a ser de 91,4 óbitos, nos últimos sete dias o índice caiu para 5,7 fatalidades.

“O ‘platô’ de óbitos (estendido) deste ciclo epidêmico, se considerarmos a média móvel, poderia ser definido como o período de aproximadamente vinte dias (entre 3 e 23 de maio), quando a média sempre esteve acima de 80 mortes diárias. A redução da média móvel de óbitos dos últimos sete dias (5,7) foi de 58% em comparação à média obtida duas semanas atrás (13,6). Se compararmos os dados de hoje com a máxima média móvel da curva, obtida no pico da série temporal, a redução foi de 94%”, informa o boletim.

Números da Covid-19 no Ceará

Ceará contabiliza 134.610 casos confirmados de Covid-19 e 6.842 óbitos em decorrência da doença. Os dados são da plataforma IntegraSUS, atualizados pela Secretaria de Saúde do Ceará às 19h31 desta sexta-feira (10).

São 106.952 pessoas recuperadas da enfermidade no Estado. A plataforma indica que há outros 70.330 casos suspeitos do novo coronavírus e 590 mortes em investigação. O Ceará já realizou 341.231 testes para detectar a presença do vírus.

Fortaleza concentra os maires números, com 37.943 casos e 3.499 mortes pelo novo coronavírus. A capital está na fase 3 do processo de reabertura econômica. Na Região Metropolitana, Maracanaú (4.355 casos) e Caucaia (4.223) também têm altos índices da infecção. Caucaia é a segunda cidade em número de mortes, com 303 falecimentos. Em Maracanaú, 217 pessoas morreram pela doença.

Um estudo da Universidade Estadual do Ceará aponta que Fortaleza teria 1,6 mil mortes a mais por Covid-19 sem as medidas de prevenção. No Estado, as viagens intermunicipais voltaram a ocorrer a partir desta sexta-feira. No entanto, especialistas apontam que a circulação entre a capital e o interior pode aumentar o contágio da Covid-19.

Sobral é a segunda cidade em número de casos, com 8.246 registros. A cidade, na Região Norte, contabiliza 255 mortes. Sobral está em lockdown deste 1° de julho. O isolamento mais rígido também foi adotado em Juazeiro do Norte, Barbalha, Crato, Brejo Santo, Tianguá e Iguatu.

Juazeiro do Norte, no Cairi, teve forte crescimento da doença e concentra 3.865 diagnósticos positivos da Covid-19, com 127 mortes. A região caririense apresenta a maior taxa de transmissão do vírus do Ceará.

O número de diagnósticos do novo coronavírus também se destaca nas cidades de Quixadá (2.324), Maranguape (2.128), Camocim (1.957) Acaraú (1.922) e São Gonçalo do Amarante (1.782).

Veja outras informações da plataforma:

  • A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 66,63%;
  • A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 41,78%;
  • A mortalidade da doença no Estado é de 5,1%.

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Veja como ficam as regiões no plano de retomada econômica:

  • A capital cearense continua na etapa 3, e as barracas de praia podem funcionar;
  • Demais cidades da macrorregião de Fortaleza seguem na Fase 2;
  • Macrorregião do Sertão Central, Litoral Leste seguem na Fase 1;
  • Região Norte para fase de transição;
  • Cidades da região Cariri e Centro-Sul mais afetadas (Juazeiro, Crato, Barbalha, Brejo Santo, Iguatu, Sobral e Tianguá) seguem em isolamento social rígido “por mais uma semana”.

O plano de retomada das atividades não essenciais tem um ciclo de transição em quatro fases. E cada uma dura 14 dias. Os municípios do Ceará estão em diferentes estágios em relação ao plano conforme a gravidade do cenário da doença, sendo a capital a cidade com maior nível de reabertura.

G1
ComentáriosComentários