JPMotos
Abril terminou com 11 homicídios em Juazeiro e o ano é 65% mais violento
6 de maio de 2020 às 06:35
24
Visualizações

Com 11 homicídios em oito diferentes bairros, incluindo uma mulher, abril teve um assassinato a menos que os 12 do mês de março representando uma redução de 9% na matança em Juazeiro. Já na comparação com abril de 2019 é um homicídio a mais, pois, naquele período, ocorreram dez assassinatos. Este ano foram oito em janeiro, 23 em fevereiro, 12 em março e 11 no mês passado.

Segundo levantamento feito pelo Site Miséria, em abril, os bairros onde houve o registro de homicídios foram Jardim Gonzaga (três ou 27% do total), Aeroporto (02) e os demais no bairro Vila Fátima, Betolandia, Frei Damião, Santa Tereza, Antonio Vieira e Triângulo. No acumulado do ano os bairros João Cabral, Frei Damião e Triângulo lideram como os mais violentos com seis homicídios cada ou, individualmente, 11% do número de assassinatos em Juazeiro.

No primeiro quadrimestre de 2019, eram 35 homicídios em Juazeiro contra 54 este ano ou 19 a mais representando um crescimento na ordem de 64,8% na violência. Eis a relação dos homicídios registrados no decorrer do mês passado em nossa cidade:

Dia 04 – Raimundo Trajano da Silva, de 56 anos, que residia na Rua Pedro Guilherme da Silva (Vila Fátima) morreu no HRC dois dias após ser esfaqueado na Rua Juarez Távora daquele bairro por “Zé Capacete” que usava tornozeleira e fugiu. O acusado era amigo de Manoel Messias Araújo dos Santos, de 40 anos, o “Cruel”, morto a facadas (16/03/2019) por Raimundo que já tinha sido vítima de duas tentativas de homicídios e respondia por crimes de trânsito, injúria e ameaças.

Dia 05 – Fernando Paz da Silva, de 28 anos, o “Fernandinho” que residia no Sítio Lagoa em Barbalha, foi morto a tiros na Rua Geraldo Lacerda Botelho (Jardim Gonzaga). Ele tinha deixado a cadeia recentemente e, em Juazeiro, era acusado dos assassinatos de Adriano da Nóbrega Alves, de 32 anos (02/05/15) no Limoeiro, e Maciel do Nascimento, de 22 anos (19/05/15) no João Cabral. Em Barbalha, matou Elias da Silva Paz, de 37 anos (24/09/17) no Parque Bulandeira.

Dia 08 – Cícero da Silva Nascimento, de 24 anos, o “Janim” que residia na Rua Francisco Samuel Saraiva (Aeroporto), foi morto a tiros por dois homens numa moto no cruzamento das ruas Sebastião Palmeira e Ministro Colombo de Sousa daquele bairro num caso de duplo homicídio já que sua mulher Débora Nascimento Santos, de 21 anos, também foi assassinada. Ele era ajudante de pedreiro e testemunha de um homicídio

Dia 08 – Débora Nascimento Santos, de 21 anos, que residia na Rua Francisco Samuel Saraiva (Aeroporto), foi a outra vítima do caso anterior de duplo homicídio e pode ter sido queima de arquivo por conta do assassinato do seu companheiro. Ela estava com um filho de 2 anos, que não foi atingido e chegou a se ajoelhar aos pés dos assassinos implorando para não serem mortos.

Dia 08 – Alisson Cardoso da Silva, de 24 anos, que residia na Rua 15 do conjunto habitacional Minha Casa Minha Vida (Betolândia), e era vendedor, foi morto a tiros perto de sua casa. Ele respondia um porte de arma de fogo e era testemunha de comércio clandestino de armas de fogo. A polícia prendeu o acusado do crime Lucas Thiago da Silva, de 20 anos, e o dono da arma Lucas Daniel Alves Fernandes, da mesma idade e morador do mesmo bairro os quais já tem várias passagens pela polícia.

Dia 15 – Raimundo Nonato Lima de Melo, de 30 anos, o “Pita” que residia na Rua Maria Marcionilia (Lagoa Seca), seguia para sua casa quando foi morto a tiros na Rua Santana Soares (Jardim Gonzaga) por dois homens numa moto. Ele respondia procedimentos por crimes de assalto, violência doméstica, lesão corporal e posse ilegal de arma de fogo.

Dia 20 – Walace Barbosa Pereira, de 24 anos, o “Neguim da POP” que residia na Rua Projetada T12 do Loteamento Royal Ville em Barbalha, foi morto a tiros e facadas perto do CAIC no Frei Damião. Ele era usuário de drogas, envolvido em roubos, testemunha do assassinato de William Cordeiro Bezerra, de 19 anos, no dia 16 de março de 2020 em Barbalha, e suspeito de envolvimento no assassinato de Raimundo Nonato Lima de Melo, de 30 anos, o “Pita”, no dia 15 de março em Juazeiro.

Dia 20 – José Josivan da Silva, de 42 anos, que residia na Rua Jaime Dorcy (João Cabral) foi baleado durante assalto praticado por dois homens numa moto na Rua Engenheiro Diógenes Aires Gondim (Jardim Gonzaga) e morreu no Hospital Regional do Cariri. Ele era vendedor de algodão doce e teria reagido ao roubo do seu aparelho celular.

Dia 21 – Valdemiro Alves Filho, de 40 anos, o “Júnior Perneta” que residia na Vila Nova (Pedrinhas), foi morto a tiros na Rua São Paulo perto do cruzamento com a São Mamede (Santa Tereza) por dois numa moto. Ele era usuário de drogas, já tinha sido vítima de duas tentativas de homicídios e respondia por crimes de furtos, roubos, ameaças e tráfico de drogas.

Dia 25 – Victor Rafael Lima de Oliveira, de 20 anos, que residia na Rua Ladislau de Arruda Campos (Antônio Vieira), foi morto a tiros por dois homens numa moto no cruzamento das ruas Moacir Gondim Lóssio e Engenheiro Carlos Alberto Bezerra naquele bairro. Ele figurava em procedimento como testemunha de crime de tráfico de drogas e era irmão do ex-lateral direito do Guarani Talisson Calcinha.

Dia 27 – Marcos Alberto Araújo Gonçalves, de 34 anos, o “Galeguinho” que residia na Rua Dídio Lopes de Oliveira (Triângulo) foi morto a tiros perto de casa por dois homens numa moto. Ele respondia por porte de arma de fogo, tráfico de drogas e o assassinato do seu cunhado José Santana Teixeira, de 31 anos, no dia 31 de maio de 2010, por conta de um débito com drogas e chegou a ser condenado a 14 anos de prisão.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

ComentáriosComentários