JPMotos
Apreensões de armas de fogo crescem 12,8 por cento no Ceará no primeiro semestre
21 de outubro de 2020 às 08:00
25
Visualizações
Armas de grosso calibre, como fuzis e submetralhadoras, estavam em poder de grupos criminosos
Foram mais de 4 mil armas de fogo retiradas das ruas entre janeiro e setembro
Secretário da Segurança Sandro Caron: “As apreensões fazem parte de uma estratégia maior”

Cresceram em 12,8 por cento os números de apreensões de armas de fogo no Ceará em 2020. De acordo com dados divulgados nesta terça-feira (20) pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS-CE), no período entre 1º de janeiro e 30 de setembro, portanto, nove meses, as autoridades policiais retiraram de circulação, nada menos, que 4.436 armas de fogo de diferentes modelos, marcas e calibres.

Esse número supera o que foi registrado entre janeiro e setembro de 2019, quando foram apreendidas 3.930 armas de fogo em todo o estado.  Conforme ainda a SSPDS, somente entre os dias 7 e 18 de setembro, nada menos, que 781 armas de fogo foram confiscadas pela Polícia no Ceará. Este período representa o início da gestão do delegado federal Sandro Lúcio Caron na Pasta. Oficialmente, ele assumiu o cargo no dia 7 de setembro.

Em rápida entrevista à Imprensa sobre o fato, Caron reafirmou que uma de suas metas à frente da SSPDS é a redução da violência armada no estado, com uma atuação forte das forças de Segurança Pública no combate às organizações criminosas (facções).

Estratégia maior

“Esse intenso e forte trabalho de repressão ao porte e a posse ilegal de armas de armas de fogo, justamente aí, procurando apreender armas que estejam nas mãos de criminosos e de grupos criminosos, faz parte de uma estratégia maior que consiste em retirar das ruas  drogas e armas, retirando do criminoso  o seu meio usado para a prática do crime, buscando a melhora nos índices da Segurança Pública do Ceará”, disse Caron.

A entrevista de Caron aconteceu um dia após o Anuário da Violência, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, ter divulgado a lista dos estados que apresentaram no primeiro semestre de 2020 os maiores índices e suas variações em relação aos Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs).

De acordo com o Anuário, o Ceará aparece no topo da lista dos estados mais violentos do Brasil, sendo o primeiro da lista dos estados onde ocorreu a maior variação de aumento de assassinatos, com um salto de 12,6 por cento na comparação entre os primeiros semestres de 2019 e 2010.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários