JPMotos
Milícias ameaçam candidatos em várias cidades do interior
23 de outubro de 2020 às 10:16
61
Visualizações
Relatos de ameaças de morte e atentados já são apurados pela Justiça Eleitoral, PF e MP

A presença de milicianos na campanha eleitoral no Ceará é motivo de investigação da Polícia Federal e do Ministério Público Eleitoral (MPE-Eleitoral). Candidatos de, ao menos, quatro Municípios cearenses, estão ameaçados de morte e perseguidos ou vigiados 24 horas por homens armados que estariam agindo para intimidar os “alvos” na corrida eleitoral.  Policiais militares à paisana e até viaturas ostensivas da Polícia Militar vêm sendo utilizados para ameaçar e perseguir os candidatos.

Um dos Municípios cearenses onde a ação de milicianos armados tem deixado candidatos e a população amedrontada é Catarina, situado na Região dos Inhamuns (a 394Km de Fortaleza). De acordo com as denúncias, indivíduos  identificados como “Rano”, “Zé Roberto” e “Pelado”, que seriam ligados também à facções criminosas, formaram uma milícia para perseguir e ameaçar ativistas da candidata de oposição à prefeitura, Stela Macla Feitosa  (PSD). O grupo armado permanece no Município à serviço do atual prefeito que busca à reeleição, Tiago Paes de Andrade.

Em Jaguaruana, na Região do Vale do Jaguaribe (a 183Km da Capital), a presença de milicianos à serviço do atual prefeito do Município, “Roberto da Viúva”, tem deixado a população em estado de tensão. Denúncias apontam que pelas ruas da cidade e também nos distritos e localidades da zona rural  circulam quatro viaturas ostensivas da PM, pertencentes a unidades de outras cidades e, portanto, fora de suas respectivas áreas de patrulhamento, com o objetivo de  intimidar aliados da candidata a prefeita, Ana Tereza, do Partido dos Trabalhadores (PT).

PMs detidos

A mesma situação se repete em Iguatu, no Centro-Sul do Ceará (a 414Km de Fortaleza), onde, no começo da semana, a cidade foi abalada com a notícia de uma tentativa de seqüestro de um jovem radialista que estaria trabalhando na campanha do atual prefeito, Ednaldo Lavor, candidato à reeleição e que disputa o cargo com o ex-prefeito e hoje oposicionista, Agenor Neto.

O incidente virou caso de polícia, e três PMs que estariam agindo como milicianos foram detidos e encaminhados à Delegacia Regional da Polícia Civil. No Boletim de Ocorrência  (B.O.) registrado na delegacia consta que ativistas da campanha de Ednaldo Lavor foram ameaçados de morte e sofreram tentativa de seqüestro nas proximidades do Estádio Morenão.

Três policiais militares identificados como 2º tenente PM Marcelo Barbosa da Silva, cabo PM José Adalberto da Silva Sousa; e soldado PM Alfredo Bezerra da Silva, destacados em Fortaleza, foram conduzidos à delegacia para prestar depoimentos e explicar o que estavam fazendo na cidade de Iguatu, à paisana, armados e intimidando as pessoas que estavam trabalhando na campanha do atual prefeito. O caso foi comunicado ao Comando-Geral da Corporação e deve ser apurado também pela Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos da Segurança Pública e do Sistema Penal (CGD).

Apelo ao governador

Já no Município de Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, o candidato à prefeito pela chapa de oposição, deputado estadual Bruno  Gonçalves (PL), denuncia estar sendo ameaçado de morte juntamente com os membros de sua equipe de campanha por milicianos. A situação naquele Município é tão tensa que, no começo da semana, Bruno Gonçalves encaminhou à Casa Militar do Governo um pedido de proteção pessoal, temendo por sua vida e de seus auxiliares. O pedido de segurança foi encaminhado ao governador Camilo Santana.

Tropas nas ruas

Diante da situação de violência e da presença de milicianos e facções na campanha eleitoral em vários Municípios, o governador Camilo Santana concordou com o pedido feito por 10 juízes eleitorais ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE) para a presença de tropas federais Duran te o pleito em 1º Turno que aconteceu no próximo dia 15 de novembro. O caso será apreciado, agora, pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília.

A presença das tropas do Exército e da Força Nacional de Segurança (FNS) deverá ser assegurada para a garantia das eleições em Fortaleza, Caucaia, Maracanaú, Sobral, Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Pacajus, Horizonte e Itaitinga.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários