JPMotos
Ministério Público denuncia falso guru por vários crimes após relatos de abusos sexuais
28 de julho de 2020 às 05:59
17
Visualizações
Pedro Ícaro de Medeiros, o “Ikki”, deverá ter prisão decretada

O Ministério Público Estadual (MPE) ofereceu denuncia criminal contra o falso guru que é apontado nas investigações da Polícia Civil como autor de vários crimes, desde estelionato a estupros contra jovens de uma comunidade que ele mesmo fundou. A denúncia foi baseada no que já apurou um inquérito instaurado e já concluído no 16º DP (Edson Queiroz).

O falso guru, identificado como Pedro Ícaro de Medeiros, conhecido por “Ikki”, agora está sendo processado na 15ª Vara Criminal de Fortaleza. O processo tramita em segredo de Justiça, pois há diversos relatos de casos de abusos sexuais contra jovens e adolescentes praticados pelo suspeito.

A denúncia criminal foi formulada pela promotora de Justiça, Glecianny Carvalho Cordeiro. Já o Ministério Público Estadual (MPE) informou nesta segunda-feira (27), que várias vítimas dos abusos sexuais e de outros crimes atribuídos a “Ikki”, já compareceram ao Núcleo de Atendimento das Vítimas da Violência (Nuavv), onde prestaram depoimentos sigilosos, relatando com detalhes os abusos praticados pelo falso guru. A informação foi confirmada pela promotora de Justiça Joseana França, coordenadora no núcleo.

Estupros

“Ikk” criou uma espécie de comunidade espiritual que ele batizou como “Afago”, entre os anos de 2018 e 2019 e acabou atraindo vários jovens para encontros em que dizia que iria curá-los de traumas sexuais e familiares. A manipulação do falso guru aos adolescentes e jovens com problemas de relacionamento acabou se transformando em abusos sexuais praticados por “Ikki” e já narrados na Polícia e no MP.

O caso acabou se transformando em mais um escândalo sexual em Fortaleza e que já ganhou repercussão nacional como, por exemplo, em uma reportagem sobre o assunto exibida pelo programa “Fantástico”, da Rede Globo de Televisão há duas semanas.

Com Informações Fernando Ribeiro

ComentáriosComentários