JPMotos
PM acusado de extorquir vereador em Juazeiro já está no Presídio Militar
2 de março de 2021 às 08:50
15
Visualizações

Terminou por volta das 22 horas o procedimento na 20ª Delegacia Regional de Polícia Civil sobre um crime de extorsão em Juazeiro do Norte. Ao final, o delegado Rafael Mota lavrou o Auto de Prisão em Flagrante indiciando o policial militar, blogueiro e ativista político, João Paulo Teixeira Ramos, de 39 anos, residente na Rua São Benedito (São Miguel) em Juazeiro. Ainda na noite de ontem ele foi recambiado ao Presídio Militar de Fortaleza.

Por volta do meio dia desta segunda-feira o vereador Márcio Joias denunciou o crime de extorsão em curso no seu escritório na Rua São Francisco (São Miguel) aonde esteve uma patrulha da Força Tática. Segundo o Tenente Lindemberg, o PM saía do imóvel com um envelope contendo R$ 7.307,00 em dinheiro quando foi levado à DRPC juntamente com o vereador. Inclusive, Márcio Joias representou contra a esposa do blogueiro no caso Letícia Leandro de Sousa, de 24 anos, por crime de injúria.

De acordo com o vereador, tudo começou pelo andamento nos trabalhos da Comissão Processante na Câmara de Juazeiro à pedido de João Paulo que defende o afastamento do prefeito Gledson Bezerra por irregularidades administrativas. Segundo disse, a sua posição contrária teria irritado o PM que passou, conforme acrescentou, a difamá-lo via redes sociais. Inclusive, prometendo encaminhar às autoridades denúncias contra o vereador em nome do seu afastamento do cargo.

Conforme Márcio, ele já teria tentado extorquir outros vereadores e a pedida inicial em relação ao mesmo foi de R$ 12 mil ante a promessa de “deixar pra lá”. O vereador admite ter negociado e marcado um encontro quando “criei coragem e acionei a polícia para fazer o flagrante” após a entrega de R$ 7 mil. Por sua vez, João Paulo Ramos nega a extorsão e disse ter sido procurado por Márcio Joias para fazer uma publicidade no seu programa nas redes sociais a fim de divulgar suas atividades parlamentares.

Falou ainda ter sido convidado para ir ao escritório do vereador e foi surpreendido pela polícia quando nem sabia o valor que continha no envelope. João Paulo ligou o fato às denúncias que faz pelo seu canal de comunicação contra o poder público e arremata afirmando que o vereador é quem vivia ligando para o mesmo. Ele foi candidato a vereador pelo PV na última eleição e obteve 77 votos. João Paulo é “Julgado Incapaz” para o serviço militar e já responde por crimes de lesões corporais, ameaças, danos, receptação e violência doméstica.

Por Demontier Tenório
Com Parceria Site Miséria.com.br

ComentáriosComentários